Postado em 23 de Junho de 2017 às 09h15

Como contornar o desejo de comer doces na gravidez

Alimentação (74)
Dr. Bem Estar - Seu Portal de Saúde! A ansiedade na gestação pode ser aplacada com o açúcar? Isso é um mito! Leia algumas estratégias alimentares que ajudam a driblar a vontade de comer doces durante a...

A ansiedade na gestação pode ser aplacada com o açúcar? Isso é um mito! Leia algumas estratégias alimentares que ajudam a driblar a vontade de comer doces durante a gestação.

Muitas mães sentem um desejo incontrolável de devorar guloseimas durante a gestação. É uma sensação normal, mas que gera conflitos na cabeça da mulher. Depois do impulso de assaltar a geladeira e a despensa, vem a preocupação com o peso. O que fazer diante dessa situação? Como contornar a vontade de comer doces enquanto espera o bebê?

Por que tanta vontade de devorar doces?

A gravidez leva a mulher a um estado de ansiedade. São muitas dúvidas e muitas expectativas ao mesmo tempo, além de profundas mudanças fisiológicas, principalmente, hormonais. O prazer proporcionado pelo açúcar e pelas massas em geral dá a ela a sensação de alívio dos sintomas, embora ele seja discreto e passageiro. Soma-se a isso o fato de que os alimentos aplacam a autocobrança da mãe de nutrir o filho em seu ventre. A ideia de que o prazer proporcionado pelo açúcar se contrapõe à ansiedade da gravidez é um mito. Ela só é muito difundida porque funciona como uma conveniente justificativa para que as gestantes comam doces sem sentir culpa.

Como lidar com a ansiedade da gravidez?

A melhor arma para combater a ansiedade durante a gestação é a informação. O médico costuma ser uma fonte importante nessa hora, mas não a única. Procure auxílio também de outros profissionais de saúde, amigos, familiares, mães e gestantes em geral. Não admita perguntas sem respostas. É claro que alguns medos continuarão rondando o imaginário das futuras mães, principalmente, sobre o parto e a saúde do bebê. Os exercícios de respiração e atividades físicas com orientação médica também ajudam a aliviar a ansiedade da gravidez.

Quais os riscos de ganhar mais peso do que o recomendado?

A principal consequência de uma dieta muito calórica é a obesidade. O ganho excessivo de peso leva ao diabete, uma doença sem cura e com restrições alimentares, principalmente, em relação ao açúcar. O importante é saber que a gravidez, por si só, já favorece o desequilíbrio metabólico, que culmina na doença. A obesidade também favorece problemas cardiovasculares, além de causar uma sobrecarga no sistema ósseo e articular, provocando dores em regiões como a lombar. Sem contar que aumenta a probabilidade de complicações no parto por causa do tamanho dos bebês – maior que o ideal.

Quanto posso comer?

Os médicos recomendam que as gestantes ganhem de 9 a 12 quilos durante a gestação, conforme seu peso antes de engravidar. Para isso, elas precisam seguir uma dieta com o controle de calorias. Em condições normais, uma mulher deve consumir de 1.800 a 2.000 calorias diariamente. Logo que engravida, essa média torna-se mais flexível, de 1.800 a 2.200 calorias diárias. Após o sexto mês, a necessidade energética aumenta, atingindo de 2.200 a 2.500 calorias diárias. Para traduzir esses números em pratos, o melhor a fazer é buscar orientações com especialistas em nutrição. Em linhas gerais, as mulheres com peso adequado devem apenas manter sua dieta. Já as obesas ou com sobrepeso precisam readequar sua alimentação e fracioná-la em diversas refeições diárias.

Quais são as regras de uma alimentação saudável?

O ideal é que a gestante, assim como qualquer outra pessoa, faça pelo menos cinco ou seis refeições por dia, o que promove a saciedade e faz com que se coma menos em cada uma delas. Também é importante ingerir cerca de 2 litros de líquido por dia e incluir na dieta cada vez mais alimentos integrais, ricos em fibras. Além de favorecer o funcionamento do intestino – algo importante para as gestantes -, elas também saciam. Ou seja, a mulher fica mais tempo sem vontade de comer. Entre os alimentos integrais, estão pães feitos com farinha integral, farináceos integrais, grãos e cereais integrais, frutas, verduras e legumes.

O que posso comer nos lanches para saciar a fome sem engordar?

Em primeiro lugar, faça lanches pela manhã, à tarde e à noite. Uma boa sugestão é preparar vitaminas de frutas com leite e acrescentar farinha de linhaça ou farelo de aveia, por exemplo. Também vale a pena comer bolachas ou pães feitos com produtos integrais. Cereais integrais com leite ou iogurte e frutas desidratadas costumam ser opções práticas e saudáveis para um lanche.

Quais as dicas para as grandes refeições?

Existem muitas opções. Mais uma vez, a dica é abusar de alimentos integrais, ricos em fibras. Isso vale para massas e para o arroz de todo dia. Outra sugestão é substituir, de vez em quando, uma refeição por um lanche reforçado, com legumes e folhas. Beber suco natural, em vez de refrigerantes ou sucos de caixinha, é mais uma medida importante para balancear a dieta. Se for preparar uma omelete, em vez de batata e queijo, prefira legumes e verduras. Considere também que o “prato feito” do brasileiro é uma boa referência de alimentação balanceada, em quantidades moderadas. Ele reúne arroz, feijão, salada de folhas, legumes e carne, além de uma fruta de sobremesa.

É possível comer frituras, doces, massas e refrigerantes?

Sim. O problema não é comer, mas exagerar. Dentro de uma rotina alimentar balanceada, há lugar para aquele chocolate dos deuses, o irresistível pastel de feira, a coxinha da padaria ou a macarronada da mama. O segredo é maneirar. Frituras por imersão, aquelas que boiam no óleo, no máximo, uma a duas vezes por semana. Para os doces, vale a mesma restrição: consumir o mínimo possível, ou seja, uma única porção, duas ou três vezes por semana. De preferência, imediatamente após consumir verduras e legumes, que ajudam a metabolizar a glicose do doce. Quanto ao refrigerante, tome apenas se tiver muita vontade, bem de vez em quando e se fizer muita questão. Jamais substitua a água e os sucos naturais por essa bebida.

Adotar adoçantes artificiais na dieta é uma medida para não engordar?

Não é o ideal, mas podem ser ingeridos com prudência, de vez em quando. A partir do terceiro mês de gestação, se a mulher passa a ganhar peso além da conta, o adoçante é preferível ao açúcar. Agora, nesse caso, o melhor a fazer é readequar a dieta e evitar alimentos calóricos, optando por produtos naturais.

Fonte: Bebe Abril

Veja também

4 palavras para dizer todos os dias: conheça a técnica havaiana Ho'oponopono10/11/17 Você sabe o que é a técnica Ho’Oponopono? O que é e como funciona a antiga prática de cura havaiana? Como praticá-la para superar os conflitos na sua vida? Habitualmente praticada por sacerdotes curadores, esta prática foi "reformulada" pela filha da última Kahea kahuna La'au (sacerdotisa que cura com palavras), Morrnah Nalamaku......

Voltar para (NOTÍCIAS)