Postado em 28 de Janeiro de 2016 às 08h26

É melhor correr na esteira ou ao ar livre?!

Boa Forma (46)
Dr. Bem Estar - Seu Portal de Saúde! Se você faz parte da turma que deseja se exercitar neste ano, correr é uma alternativa democrática e barata. Mas será que é melhor fazer a atividade ao ar livre, enfrentando...

Se você faz parte da turma que deseja se exercitar neste ano, correr é uma alternativa democrática e barata. Mas será que é melhor fazer a atividade ao ar livre, enfrentando vento e chuva, ou se exercitar na esteira, enquanto admira seu reflexo em um espelho gigante? A maioria dos corredores acredita que é mais fácil correr na esteira do que ao ar livre. Conheça os argumentos a favor e contra:

Energia
Aqueles que gostam de se exercitar ao ar livre afirmam que há maior gasto de energia. A principal razão é a resistência do vento, que você não recebe muito quando está dentro da academia. Mas os adpetos a esteira dizem que isso não é necessariamente verdade. Em um estudo realizado pela Universidade de Exeter, o professor Andrew Jones levou nove corredores do sexo masculino e os fez correr ao longo de uma estrada, medindo seu gasto de energia. Em seguida, esses voluntários correram na mesma velocidade em uma esteira, mas em diferentes inclinações. O que eles descobriram é que os corredores poderiam compensar o esforço extra de correr ao ar livre se colocarem 1% de inclinação em suas esteiras.

Velocidade
Vale a pena saber que quando você corre em uma esteira, você tende a superestimar o seu ritmo. Um estudo realizado em Singapura pediu à algumas pessoas para correrem ao ar livre e, em seguida, correr na mesma velocidade em uma esteira. A descoberta foi a seguinte: Quando aceleraram na esteira, as pessoas foram mais lentas, mesmo achando que estavam indo na mesma velocidade. Os cientistas acreditam que isso acontece porque você não recebe os mesmos sinais visuais quando se exercita em um ambiente externo.

Segurança
Na academia, é improvável que você seja atingido pela queda de um galho ou tropece em um fio. Mas quando se trata de lesões, há um perigo que é mais comum entre os corredores de esteira - lesão de esforço devido a repetição invariável. Quando você está em uma esteira, a tendência é deixar a mente ir para bem longe e fazer os mesmos movimentos, como um hamster em uma roda, fazendo o mesmo movimento várias vezes. A cada 1 km que você corre, o seu pé bate no chão cerca de 625 vezes. Repetir o mesmo movimento proporciona maior risco de lesões articulares ou ligamento. Portanto, se você usar uma esteira, é uma boa ideia variar a velocidade e a inclinação.

Correr ao ar livre faz com que seus movimentos variem mais, exercitando mais músculos, fortalecendo os ligamentos e melhorando o equilíbrio.

Bem-estar
Parece óbvio que a corrida ao ar livre coloca você mais perto da natureza e é mais prazeroso que um lugar fechado. Mas onde está a prova?
Cientistas da Universidade de Exeter avaliaram adequadamente as provas e as suas conclusões foram claras. Eles descobriram que o exercício em ambientes externos, sobretudo em espaços verdes, "foi associado com maiores sentimentos de revitalização e envolvimento positivo, diminuição da tensão, confusão, raiva, depressão e aumento da energia".
Eles também descobriram que as pessoas que se exercitaram ao ar livre passaram a apreciar mais o exercício, e se disseram propensos a fazê-lo novamente. Embora se eles realmente fizeram é outra questão. Outra vantagem de exercício ao ar livre é que você tem uma chance maior de ser exposta à luz do sol e, portanto, receber vitamina D.

Conclusão
Correr ao ar livre, por oferecer maiores variações, apresenta vantagens. Mas o melhor conselho, especialmente se você está começando, é escolher o tipo de corrida que você gosta e que é mais provável que você não vá furar. Se isso significa ir para a esteira mais próxima, lembre-se de variar a velocidade e a inclinação.

Fonte: M de Mulher

Veja também

Por que você deve Consumir o Chá de Hibisco com Moderação!07/04 Se você busca uma alimentação equilibrada, com certeza já ouviu falar do chá de hibisco. A origem é africana e asiática, sendo que a flor de hibisco utilizada para o preparo do chá possui o nome científico de Hibiscus Sabdariffa. O cálice da flor de Hibisco, quando transformada em chá, tem grandes propriedades antioxidantes, que auxiliam na......
Cuidados com a pele devem ser redobrados no inverno!10/07 As baixas temperaturas requerem uma atenção redobrada aos cuidados com a pele. Ressecamento, coceiras, rachaduras e até mesmo algum desconforto podem ser evitados, desde que os hábitos e até mesmo os tipos de cremes a serem......
CháMais se prepara para o 2º Hi - Nutrition!15/03/16 A CháMais já está com tudo pronto para receber você no 2º Congresso Hi-Nutrition que acontece de 17 a 19 de Março, no Centro de Convenções Frei Caneca, 4º Andar, em São Paulo/SP. O Hi-Nutrition......

Voltar para (NOTÍCIAS)