Postado em 09 de Outubro de 2017 às 08h09

Saúde Mental: A nutrição do cerébro!

Bem-estar (41)

Com o objetivo de promover reflexões sobre os problemas de saúde mental que afetam mais de 400 milhões de pessoas em todo o mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), além de disseminar informações que possam contribuir para diminuir este índice, a World Federation for Mental Health instituiu, em 1992, o Dia Mundial da Saúde Mental, que passou a ser celebrado todos os anos no dia 10 de outubro.

A mente é o termo utilizado para expressar a parte do cérebro responsável pela cognição (conhecimento) e comportamento. O cérebro humano é muito completo e sua saúde depende das ações que tomamos de forma a mantê-lo saudável. Assim também acontece com a mente. Por ser uma parte do cérebro, é também um músculo e devemos realizar algumas atividades para mantê-la saudável.

A saúde mental é um estado de completo bem-estar em que o indivíduo é capaz de desenvolver suas atividades, lidar com as emoções e estresses diários, e estar bem consigo mesmo e com as pessoas de seu convívio.

Entre os exemplos mais comuns de transtornos mentais podemos citar as Fobias, a Síndrome do Pânico, Ansiedade Generalizada, Depressão, Anorexia, Bulimia, Insônia, Sonambulismo, Esquizofrenia, Hipocondria, entre outros.

As doenças mentais sempre fizeram parte da história da humanidade. Em séculos passados, pessoas que sofriam de distúrbios da mente eram afastadas da sociedade por serem consideradas “loucas” e estavam destinadas a passarem os restos de suas vidas isoladas e, futuramente, em hospitais psiquiátricos, nos quais não recebiam tratamentos específicos.

O primeiro hospital psiquiátrico fundado no Brasil foi o Hospício Pedro II, no Rio de Janeiro, em 1852. Naquela época, os médicos se dedicavam à reabilitação dos pacientes, estimulando-os a participarem de oficinas de capacitação, e muitos acreditavam na cura das doenças por meio de métodos que envolviam desde soluções milagrosas a mutilações.

A prevenção é a principal medida a ser adotada para que não se sofra por consequência de desequilíbrios mentais. Uma alimentação nutritiva e balanceada, rica nos componentes certos pode auxiliar na prevenção de doenças mentais, além de evitar a perda de memória, inclusive a que pode ocorrer durante o processo de envelhecimento.

Alguns nutrientes podem auxiliar na manutenção da saúde mental:

– Ômega 3: potente anti-inflamatório que pode ser encontrado em peixes de águas frias e profundas (sardinha, atum e salmão), no kiwi e nozes. Seu consumo está relacionado a diminuição do risco de distúrbios mentais como depressão, transtorno de déficit de atenção, dislexia, demência, transtorno bipolar, esquizofrenia, etc.

– Vitaminas do complexo B: Têm papel importante no funcionamento do sistema nervoso; a falta delas pode causar distúrbios do sono, confusão mental e depressão. As vitaminas do complexo B podem ser encontradas em cereais integrais, laticínios, carnes, ovos, frutas, castanhas e leguminosas.

– Colina: Participa da formação de neurônios e na reparação das células cerebrais lesadas. Presente na gema do ovo e em todas as sementes e grãos integrais, sendo importante auxiliar da nossa memória.

– Triptofano: precursor da serotonina e melatonina, responsáveis pela sensação de prazer e bem estar e pela regulação do sono, respectivamente. As principais fontes de triptofano são banana, carnes magras, peixes, iogurte natural, queijo branco, feijões e ovos.

A nutrição de um corpo saudável se inicia nutrindo o cérebro, assim como sempre ouvimos falar na citação “Mens sana in corpore sano” (uma mente sã num corpo são).

Fontes: Guia Saudável, Vip Saúde Médica e Segs

Veja também

Agora somos Amais!07/02 O mundo está em constante evolução e nós também. E para acompanhar as mudanças do seu mundo a marca CháMais agora também é Amais. Nossa receita foi unir paixão e tecnologia à nutrição para lhe oferecer algo a mais! A nova marca Amais é mais resultados, mais inovação, mais tecnologia, mais saúde e......
Conheça o que são Peptídeos de Colágeno!21/03/16 O colágeno é a proteína mais abundante do corpo humano, representando 25% do total de proteína, sendo o maior constituinte do tecido conectivo (pele, tendões, cartilagem e ossos). Os peptídeos de colágeno......

Voltar para (NOTÍCIAS)